Publicado em Deixe um comentário

“Estás sempre a tempo de mudar…”




Então aqui vai:

 

Nasci em…Não!!! Brincadeira! Sou Engenheira, logo… gosto de ir directa ao assunto. Foi assim que começou: depois da tarefa (algo difícil) de convencer os meus pais de que nem só as Engenharias “clássicas” têm saídas profissionais, entrei na UM, para o curso novo que abria e que me parecia ser um curso de futuro: Engenharia de Materiais. O curso não me desiludiu e provou ser tudo o que eu esperava? ou, talvez até, um bocadinho mais. Durante os anos de universidade, como a vida é mais do que estudar, fiz parte da AAUM, do Senado e Assembleia da UM e fui membro activo da ARCUM, como elemento do Grupo Folclórico.

 

A uns meses de terminar a licenciatura, decidi candidatar-me à 2ª edição do Programa Contacto@ICEP. Fui seleccionada e, mal acabei o curso, comecei a minha aventura de “contactante”, que me permitiu estar cerca de um ano a estagiar na Irlanda do Norte, numa área de gestão de produto de peças plásticas. Foi um bom primeiro passo de carreira. Começar a trabalhar, viver e conviver com pessoas bem diferentes e começar a tocar em áreas que não vêm nos livros da Universidade.

 

A verdade é que a chuva e o cinzento dos dias da Ilha da Esmeralda não combinam muito com uma alma latina… Por isso, decido o regresso a Portugal no final do estágio, em Outubro de 98, com o que seria uma missão complicada de procurar trabalho. Fui respondendo a anúncios de jornal até que, entre algumas entrevistas, sou chamada a trabalhar na Sonae Indústria, como gestora de produto, em Fevereiro de 2000.

 

Foi na Sonae que aprendi e cresci em termos profissionais. Num turbilhão de funções e emoções vi, de perto, despedimentos, fechos, começos e recomeços de negócios. Entendi que a minha licenciatura era só a base do meu conhecimento, quando me pediram para fazer funções de marketing… Havia tanto, mas tanto para aprender…

 

Depois de quase 6 anos como gestora de produto de pavimentos laminados, decido, uma vez mais, abrir o jornal e candidatar-me a um anúncio para uma área de negócio totalmente nova. Como diz a canção “Muda de vida se tu não estiveres satisfeito. Muda de vida. Estás sempre a tempo de mudar…” Fui seleccionada e comecei a trabalhar, em Outubro de 2005, na Ficosa, como Project Manager, onde aprendo o que é a indústria automóvel e luto com a sua complexidade.

É este o meu CV resumido.

 

Claro que nem tudo são rosas e há dias em que desesperamos… Ou porque não temos a solução imediata para um problema ou porque estamos fartos daquele colega “que não faz nenhum e passeia folhas” ou porque “de férias é que estava bem”…

 

Mas a verdade é que não me foi muito difícil entrar e adaptar-me ao mundo de trabalho, não só pelo curso que tirei, que claramente tem sido fundamental para as áreas em que tenho trabalhado, mas pelas minhas actividades extracurriculares. Em todos os processos de selecção, o meu CV saltou à vista pela AAUM, o folclore, as formações complementares em áreas diferentes da Engenharia, as línguas? Em todas as funções, recorri a muitas coisas que aprendi pela passagem por associações: organizar Festivais e Enterros da Gata obriga a uma estruturação de informação, a saber comunicar com outras pessoas, a saber viver com desilusões, com coisas que correm mal…

 

Para terminar esta partilha pequenina da minha experiência, permitam-me que vos diga que se é verdade que o mercado de trabalho está difícil, também é verdade que com trabalho, mente aberta e vontade de aprender se conseguem boas oportunidades de carreira.

 

Até ao 1º emprego, estudem, leiam, diversifiquem, divirtam-se, conheçam outras pessoas… Façam parte de um grupo ou de uma associação. Há tantos na UM e deixam-nos, além de boas experiências, boas recordações.

 

Cristina Maia

Licenciada em Engenharia de Materiais

Project Manager da Ficosa
    “

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *