Sasum

  • Home
  • /
  • “Maior aproximação da Academia” será o mote da AAUMinho para 2024

“Maior aproximação da Academia” será o mote da AAUMinho para 2024

A nova direção da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUMinho) tomou posse no passado dia 19 de janeiro, Margarida Isaías assume um segundo mandato à frente da estrutura estudantil, destacando uma “equipa renovada e representativa”.

A cerimónia de tomada de posse dos Órgãos Sociais da AAUMinho realizou-se no Salão Medieval da Reitoria da Universidade do Minho. Além de Margarida Isaías e toda a sua equipa, tomaram posse Francisco Silva, estudante do Mestrado de Gestão de Projetos de Engenharia, como presidente do Conselho Fiscal e Jurisdicional, e Sónia Fernandes, estudante do Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial, como presidente da Mesa da Reunião Geral de Alunos.

Num balanço do anterior mandato, a presidente empossada disse acreditar que a sua direção ajudou a tornar a AAUMinho e a Universidade “espaços melhores”, apesar das “enormes barreiras” e “dificuldades” com que desenvolveram o seu trabalho nas mais diversas áreas.

Afirmando que, como representantes máximos dos estudantes da UMinho, preocupa-os “a participação estudantil na Universidade e o desaparecimento do conceito dos estudantes no centro da Universidade Minho”. Inquietando-os ainda o contexto político nacional, “preocupa-nos a instabilidade, as prioridades, a democracia”, disse.

Reafirmando o seu compromisso perante a academia, destacou a “equipa renovada e representativa” que apresentou para este novo mandato, mostrando-se convicta de que têm todas as ferramentas necessárias para responder às necessidades dos estudantes da UMinho e compreendendo a “importância vital de maior aproximação da academia para exponenciar o impacto da AAUMinho, dos estudantes na Universidade, na região e no país”. Este é o nosso mote para 2024, “a aproximação da Academia”, afirmou. Uma aproximação que quer “da Academia ao país, às cidades, à Universidade entre si, e claro, a aproximação ainda mais estreita da AAUMInho à Academia, aos estudantes”, sublinhou.

Apontando que muitas melhorias foram feitas em 2023, indicou que também muitos passos foram dados para trás. “Se o financiamento ao ensino superior aumentou, foram também reduzidos os apoios às associações estudantis e juvenis pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, não aumentaram os apoios às atividades destas associações que são o motor das universidades. Se a propina irá ser devolvida no final do curso como medida de fixação dos jovens, muitos são aqueles que são privados do acesso e frequência do ensino superior por dificuldades económicas e falhas na ação social”, disse. Acrescentando ainda que se o financiamento às instituições de ensino superior aumentou, “não foi com obrigação do aumento do financiamento aos Serviços de Ação Social”.

Margarida Isaías disse ainda quererem “aproximar a academia do país, mas não o podemos fazer sem aproximar as academias”, pelo que todas devem trabalhar em prol da mesma missão “os estudantes”, “o ensino superior em Portugal”. Apelando a que deixem “a representatividade e democracia atuarem”. Patenteando também querer aproximar a academia às cidades, “mas não o podemos fazer sem que as cidades se aproximem academia”, afirmando contar com as cidades que rodeiam a Universidade no trabalho por “mais alojamento universitário, por um acesso universal e gratuito de transportes públicos municipais e intermunicipais”. Assinalando ainda quererem aproximar a academia da Universidade, “mas não o podemos fazer sem que a Universidade se aproxime da academia, dos estudantes”, declarou. Realçando que a “redução da representatividade nos órgãos de gestão, o desinvestimento e a falta de apoios aos Serviços de Ação Social e aos estudantes, afastam a Universidade da academia e afastam a academia da Universidade até não haver mais academia”, disse.

Terminando, e falando aos estudantes, declarou que “a aproximação à academia é a nossa alavanca para um ano cheio de trabalho, desafios e, certamente, de concretizações”. “O futuro passa pela Educação, passa por vocês e passa pelo ensino superior”.

A dirigente associativa revelou ainda que a Gata na Praia decorrerá de 23 a 28 de março, e o Enterro da Gata será de 3 a 10 de maio.

A Vice-reitora para a Educação e Mobilidade Académica, Filomena Soares, em representação do Reitor, evidenciou o “papel crucial” da AAUMinho na vida académica da Universidade “servindo como uma voz representativa e um agente de mudança positiva”. Afirmando que “o vosso sucesso será também o sucesso da nossa Universidade”. Sublinhando que o papel do estudante é “cada vez mais complexo e mais exigente”, assegurou à nova direção que “encontrarão apoio total da reitoria, encorajamos a colaboração aberta e construtiva, pois acreditamos que juntos podemos superar os desafios, identificar oportunidades e criar um ambiente académico ainda mais vibrante e enriquecedor para todos”.

Texto: Ana Marques

Foto: AAUMinho

PT
Skip to content