Publicado em Deixe um comentário

UMinho distinguiu o mérito e a excelência a mais de 200 estudantes

UMinho distinguiu o mérito e a excelência a mais de 200 estudantes

Foram atribuídas bolsas de excelência a 167 alunos e 40 bolsas de estudo por mérito.

A Cerimónia de Entrega dos Prémios de Mérito e Excelência da Universidade do Minho (UMinho) decorreu dia 19 de junho, no salão medieval do Largo do Paço, em Braga. Os 207 premiados foram distinguidos pelo seu percurso académico exemplar, os quais surgiram de quase todas as unidades orgânicas da Academia.

As bolsas de excelência é uma iniciativa anual, iniciou em 2012 e representa um investimento acumulado superior a um milhão de euros, traduzindo o modo particular com que a UMinho reconhece o trabalho e o percurso académico dos seus estudantes. A UMinho tem vindo a distinguir anualmente com esta bolsa os estudantes de todas as licenciaturas e mestrados integrados que obtiveram a melhor nota de candidatura e de cada ano do respetivo curso, desde que igual ou superior a 17 valores. As 167 bolsas entregues este ano foram relativas aos anos letivos 2022/2023 e 2023/2024, as quais têm um valor pecuniário igual ao da propina. Foram ainda entregues 40 bolsas de estudo por mérito do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, para estudantes da UMinho com aproveitamento excecional em cada ano curricular, com média ponderada igual ou superior a 16 valores. Esta bolsa tem um valor anual igual a cinco vezes o valor da retribuição mínima mensal garantida em vigor no início do ano letivo em que é entregue.

A sessão contou com intervenções do reitor, Rui Vieira de Castro, da vice-reitora para a Educação e Mobilidade Académica, Filomena Soares e da presidente da Associação Académica (AAUMinho), Margarida Isaías.

“Hoje é dia de prémios, de festa e de excelência”, começou por dizer a vice-reitora para a Educação e Mobilidade Académica, que afirmando o seu “orgulho” nestes estudantes, assinalou também a “curiosidade” que existe à sua volta, de saber quem são para além de excelentes estudantes, o que gostam, o querem, o que sonham…, por isso, lançou um desafio de interação direta com os premiados presentes, que através do telemóvel foram respondendo a perguntas, no final, as suas respostas, refletiram algumas das características gerais do grupo.

Afirmando que “somos todos uns privilegiados porque tivemos, temos e continuaremos a ter a oportunidade de vos acompanhar neste futuro promissor”, desejou felicidades a todos, com votos para “continuarem a construir o vosso futuro cheio de sucessos e excelência”.

A presidente da Associação Académica realçou que “hoje temos os melhores dos melhores”, assinalando que a UMinho “é a melhor academia do país por muitos motivos, e um deles são vocês”. Para a representante máxima dos estudantes, estes alunos servem hoje “de inspiração para todos nós”, sendo a prova de que “o esforço e determinação compensam”, disse. Margarida Isaías realçou ainda que com esta “valorização e distinção, há dois pesos que se elevam”, o do “reconhecimento”, mas mais importante ainda, o da “responsabilidade” que este reconhecimento traz.

Chamando a atenção para o problema da “fuga de talentos”, a líder estudantil apontou que é preciso “trabalhar para criar condições que incentivem os nossos melhores a permanecer e a contribuir para o desenvolvimento da nossa Universidade, da nossa cidade, do nosso país, da Europa e do Mundo”. Terminou, agradecendo “por fazerem desta, ainda mais, a melhor academia do país”.

Exprimindo a sua alegria por ver reunidos no espaço, aqueles que são os estudantes com melhor desempenho académico, o reitor da UMinho afirmou que este “é um momento alto da nossa vida coletiva”, assinalando dois factos sobre os mais de 200 estudantes distinguidos. O primeiro, “a verificação de que estes estudantes premiados se distribuem pela grande generalidade dos cursos da UMinho”, o segundo, o facto de “ser muito expressivo o número de estudantes bolseiros” entre estes. “O que significa que a UMinho está a cumprir aqui um papel que se espera que desempenhe, entendido como elevador social”, patenteou.

Deixando uma palavra de agradecimentos aos familiares, uma vez que esta distinção é também o reconhecimento do esforço de anos, “muitas vezes um esforço extremamente significativo”, Rui Vieira de Castro fundamentou porque é que a Universidade instituiu estes prémios: “fundamentalmente, para premiar o mérito dos seus melhores estudantes, para premiar o esforço desses mesmos estudantes, a qualidade do trabalho que foram capazes de desenvolver, mas, também, e, ao mesmo tempo, reconhecer o trabalho das unidades orgânicas que foram capazes de criar condições para que o potencial desses estudantes se concretizasse nos seus elevados níveis de desempenho académico”. 

Texto: Ana Marques

Foto: Nuno Gonçalves

Publicado em Deixe um comentário

UMinho proporciona batismo de voo a 75 alunos de Engenharia Aeroespacial

UMinho proporciona batismo de voo a 75 alunos de Engenharia Aeroespacial

Setenta e cinco estudantes de Engenharia Aeroespacial da Universidade do Minho vão realizar o seu batismo de voo este sábado, dia 22 de junho, no aeródromo do Alto Minho (Cerval), em Vila Nova de Cerveira. A manhã começa com workshops de mecânica, planos de voo e meteorologia. A oportunidade para rasgar as nuvens é a partir das 11h00 e, depois, das 14h00. No hangar prevê-se vários ultraleves prontos para sobrevoar as margens do rio Minho e com o apoio de diversos pilotos e engenheiros.

Neste Programa de Adaptação ao Meio Aéreo, os estudantes vão dar asas ao sonho e testar a nível prático o que aprenderam na teoria, resume o diretor da licenciatura e do mestrado em Engenharia Aeroespacial da UMinho, Gustavo Dias. Os alunos, quase todos do 1º ano daqueles cursos, poderão ainda recolher informações e questionar os profissionais do aeródromo para projetos que têm desenvolvido nas aulas.

Por exemplo, na licenciatura em Engenharia Aeroespacial – que tem a nota mínima de entrada mais alta do país (18.86 valores) –, uma das disciplinas exige construir um planador com materiais em fim de vida de empresas da região, além de se aplicar conhecimentos de mecânica, eletrónica e comunicação. Já no mestrado, o desafio é fazer um balão meteorológico para, após subir e rebentar na atmosfera dentro de semanas, ser detetado por GPS e daí analisar-se os dados obtidos de temperatura, humidade e outros indicadores.

A iniciativa no Cerval tem a parceria da recém-criada Associação de Estudantes de Engenharia Aeroespacial da UMinho e da Escola de Engenharia da UMinho. A opção pelo aeródromo de Cerveira em vez do de Braga deve-se a questões de segurança, pois está fora das principais linhas de operação aeronáutica comercial. A UMinho e o Aeroclube do Alto Minho assinaram em 2023 um protocolo para projetos neste domínio e os municípios de Cerveira e Valença estão também disponíveis para investir na construção de um hangar para a investigação da UMinho.

O aeródromo de Cerval é considerado um dos mais importantes da Península Ibérica, com cerca de sessenta aeronaves inscritas. Tem igualmente interesse histórico, pois em 1933 o pioneiro da aviação estado-unidense Charles Lindbergh ficou sem fuel no seu hidroavião Lockheed e fez uma amaragem forçada no rio Minho, em Friestas, Valença, que foi assim projetada na imprensa mundial. Em 1997, foi erigido um monumento alusivo próximo do local.

Texto: GCI

Publicado em Deixe um comentário

Leandro Almeida dá amanhã a última aula na UMinho

Leandro Almeida dá amanhã a última aula na UMinho

A cerimónia de jubilação de Leandro Almeida, professor catedrático da Escola de Psicologia da Universidade do Minho (EPsi), realiza-se esta quinta-feira, dia 20, às 16h00, no auditório B1 (edifício 2) do campus de Gualtar, em Braga. O programa conta com testemunhos do reitor, Rui Vieira de Castro, do presidente da EPsi, Miguel Gonçalves e dos professores Ana Paula Soares e Pedro Rosário, seguindo-se a última lição de Leandro Almeida, intitulada “Avaliação psicológica: contornos técnicos e deontológicos”. A entrada é livre.

Leandro S. Almeida licenciou-se e doutorou-se em Psicologia pela Universidade do Porto, onde iniciou a carreira docente e presidiu o conselho diretivo da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação. Ingressou na UMinho em 1989, tendo sido vice-reitor para o Ensino, presidente do Centro de Estudos em Educação e Psicologia e do Instituto de Educação, vice-presidente do Conselho Académico, coordenador do ObservatoriUM – Observatório dos Percursos Académicos dos Estudantes e membro do Centro de Investigação em Psicologia.

Nascido em Gondomar e a viver em Braga, centrou-se ao longo de 40 anos de carreira nas áreas de psicologia da educação e da inteligência, avaliação psicológica, psicometria, metodologia da investigação, (in)sucesso académico e permanência/abandono no ensino superior. Foi docente convidado em universidades de Angola, Brasil, Espanha e Moçambique, orientou 80 teses de doutoramento e é (co)autor de mais de 200 livros, capítulos e artigos científicos, além de manuais e provas de avaliação psicológica usados em vários países de língua portuguesa e espanhola.

Foi membro do Conselho Nacional de Educação e do conselho científico do Instituto de Inovação Educacional, além de presidente da Associação dos Psicólogos Portugueses e do Conselho da Especialidade de Psicologia de Educação da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP). Tem várias distinções, como o Prémio Ibérico de Psicologia (2015) atribuído pela OPP e pelo Consejo General de Psícologia de España, o Prémio de Mérito Científico da UMinho (2019) e o Prémio de Investigação da EPsi (2024).

Texto:GCI

Publicado em Deixe um comentário

Festa do Cinquentenário reuniu cerca de meio milhar de pessoas ligadas à UMinho

Festa do Cinquentenário reuniu cerca de meio milhar de pessoas ligadas à UMinho

A Festa Popular de Comemoração do 50º Aniversário da Universidade do Minho (UMinho) decorreu no passado sábado, dia 15 de junho, junto ao anfiteatro natural do campus de Gualtar, em Braga. Cerca de 500 alunos, alumni, docentes, investigadores, técnicos, administrativos e de gestão e a suas famílias marcaram presença na festa da academia para uma tarde de sorrisos, diversão e boa disposição.

O momento ficou marcado pelo clima de festa e informalidade, pela alegria, partilha e animação, numa tarde repleta de música que contou com as atuações dos Bomboémia, da Literatuna, do DJ Pedro Carvalho e, como convidada especial, da cantautora Luísa Sobral. A tarde foi ainda dinamizada com jogos tradicionais, insufláveis para as crianças, comida e bebida e muita conversa… uma tarde memorável para cada um dos participantes e que marcará a “história” da comemoração dos 50 anos da Universidade.

Segundo o reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, pretendeu-se que esta fosse “uma festa de toda a família da Universidade do Minho, e que sendo, possa reforçar o nosso sentido de união e o nosso sentido de comunidade”, afirmou.

Para Paula Jorge, investigadora do Centro Engenharia Biológica, “é giro termos uma festa para os funcionários, para os trabalhadores”, algo que não tem sido feito e que, por isso, achou bem aproveitar-se a oportunidade da comemoração do 50º Aniversário para fazer esta festa e como refere “conhecer os colegas, conhecer pessoas novas, estar num ambiente mais descontraído e informal”.

Também Rosa Barros (TAG) aplaudiu a iniciativa, realçando que se deviam “fazer mais alguns convívios do género fora do ambiente de trabalho”.

Vítor Soares (TAG) refere que, independentemente dos cargos que cada um ocupa dentro da Universidade, “todos temos um carinho muito especial e um gosto muito especial de pertencermos à UMinho”, sublinhando que é “uma grande organização”.

A cantautora Luísa Sobral também deu os parabéns à UMinho, salientando que “os pilares de uma sociedade são a educação e a saúde”, por isso, aponta que “todas as nossas universidades são importantes, bem como as pessoas que fazem parte delas, pois, são as pessoas que fazem a universidade”, declarou. 

No final, o Reitor soprou as velas e convidou todos para um brinde à Universidade!

O programa das celebrações não fica por aqui e terá continuidade com várias iniciativas até final do ano.

Texto: Redação

Foto: GCI

Publicado em Deixe um comentário

Cerimónia de Entrega das Bolsas de Excelência da UMinho

Cerimónia de Entrega das Bolsas de Excelência da UMinho

A Cerimónia de Entrega das Bolsas de Excelência da Universidade do Minho realiza-se esta quarta-feira, dia 19 de junho, pelas 15h30, no salão medieval do Largo do Paço, em Braga. Vão ser distinguidos 167 estudantes pelo seu percurso académico exemplar, com uma bolsa de valor pecuniário igual ao da propina e o respetivo diploma.

 

A sessão conta com intervenções do Reitor, Rui Vieira de Castro, da Vice-reitora para a Educação e Mobilidade Académica, Filomena Soares e da Presidente da Associação Académica (AAUMinho), Margarida Isaías. A iniciativa vai ser transmitida em direto, no canal de YouTube da UMinho.

 

A UMinho tem vindo a distinguir com a Bolsa de Excelência os estudantes de todas as licenciaturas e mestrados integrados que obtiveram a melhor nota de candidatura e de cada ano do respetivo curso, desde que igual ou superior a 17 valores.

 

Esta iniciativa anual teve início em 2012 e representa um investimento acumulado superior a um milhão de euros, traduzindo o modo particular com que a UMinho reconhece o trabalho e o percurso académico dos seus estudantes.

 

O evento prevê, ainda, a atribuição de 40 Bolsas de Estudo por Mérito do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, para estudantes da UMinho com aproveitamento excecional em cada ano curricular, com média ponderada igual ou superior a 16 valores. Esta bolsa tem um valor anual igual a cinco vezes o valor da retribuição mínima mensal garantida em vigor no início do ano letivo em que é entregue.

 

Texto: GCI

Publicado em Deixe um comentário

Alberto Proença reconhecido e homenageado pelos anos de dedicação à UMinho

Alberto Proença reconhecido e homenageado pelos anos de dedicação à UMinho

A cerimónia de jubilação do Professor Alberto Proença decorreu no passado dia 14 de junho, no campus de Gualtar, em Braga. Um momento que assinalou o fim da uma carreira académica assinalável após quase cinco décadas ao serviço do ensino, da inovação e do conhecimento na Universidade do Minho (UMinho). 

A iniciativa partiu da Escola de Engenharia da Universidade do Minho (EEUM) e contou com as intervenções do reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, do presidente da EEUM, Pedro Arezes, e do diretor do Departamento de Informática, Luís Soares Barbosa, a qual juntou também amigos, ex-alunos e familiares que fizeram questão de estar presentes na despedida, que, como referiu Pedro Arezes, foi um momento que visou assinalar “não apenas o término de uma carreira de sucesso, mas também a continuidade da sua influência que vai durar entre nós”, realçou.

Para o presidente da EEUM, o Professor Alberto Proença deixa “uma marca indelével na nossa Escola e na nossa instituição”, destacando a forma como lecionou, as iniciativas que desenvolveu, as múltiplas unidades curriculares de que foi responsável, as suas ideias visionárias, o impacto que teve na vida daqueles que passaram pelas suas aulas. “Gostava de assinalar o caráter sempre pioneiro e fundador da atividade do Professor”, disse.

Para o reitor da UMinho, a cerimónia de jubilação de um professor universitário “exprime de uma forma muito significativa, o reconhecimento feito pela academia do trabalho e dedicação de um dos seus”, indicando que o momento serviu para “reconhecer o impacto que a ação do Professor teve e continuará a ter na comunidade universitária e no seu entorno”, declarou.

Luís Soares Barbosa falou em nome do Departamento de Informática, destacando as décadas de grande dedicação, trabalho, inovação e empenho pelos diversos projetos que o Professor Proença mobilizou, “contribuições que são parte da memória viva do Departamento”, disse. Reconhecendo e destacando também “o seu papel como professor”.

A cerimónia contou ainda com um conjunto de testemunhos de pessoas, algumas de referência, que privaram com o homenageado.

Alberto Proença deu pelas 17h00, a sua última lição.

Texto: Ana Marques

Foto: GCI

Publicado em Deixe um comentário

UMinho está entre as 300 melhores do mundo na sustentabilidade

UMinho está entre as 300 melhores do mundo na sustentabilidade

A Universidade do Minho está entre as 300 melhores instituições de ensino superior do mundo no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, segundo o “2024 THE University Impact Rankings“, da revista inglesa “Times Higher Education”. A lista avaliou o cumprimento dos 17 ODS por parte de 2152 academias de 125 países, sendo mais 561 academias face à edição do ano passado.

A UMinho manteve a sua posição no intervalo das 200-300 melhores do globo, destacando-se em particular em três dos objetivos: Indústria, Inovação e Infraestruturas (ODS 9), na 34ª posição mundial, pela promoção da inovação e de infraestruturas sustentáveis na indústria, que apoiam o desenvolvimento económico, o bem-estar humano e uma maior adoção de tecnologias renováveis; Educação de Qualidade (ODS 4), no top 200 mundial, pelo papel na garantia do acesso à educação inclusiva, de qualidade e equitativa e na promoção de oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos; e Igualdade de Género (ODS 5), no top 200 mundial, pela investigação sobre o estudo da igualdade de género, pelas políticas nesta área e pelo compromisso de recrutar e promover mulheres.

Este ranking valoriza assim o crescente compromisso da UMinho no desenvolvimento sustentável, não apenas através do ensino, investigação e transferência de conhecimento, mas também através da incorporação destes Objetivos nas suas políticas e práticas internas, com evidências verificáveis das suas atividades.

Texto: GCI

Foto: Nuno Gonçalves

Publicado em Deixe um comentário

Alberto Proença vai dar a última aula na UMinho

Alberto Proença vai dar a última aula na UMinho

A cerimónia de jubilação de Alberto Proença, professor catedrático do Departamento de Informática da Escola de Engenharia da Universidade do Minho (DI-EEUM), realiza-se amanhã, dia 14 de junho, às 15h00, no auditório B1 (edifício 2) do campus de Gualtar, em Braga.

Na abertura prevê-se as intervenções do reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, do presidente da EEUM, Pedro Arezes, e do diretor do DI, Luís Soares Barbosa. Segue-se um conjunto de testemunhos de pessoas, algumas de referência, que privaram com o homenageado. A última lição de Alberto Proença é pelas 17h00 e, uma hora depois, decorre um convívio.

Alberto José Proença nasceu em Moçambique em 1954 e veio para Portugal em 1975. Licenciou-se em Coimbra e doutorou-se em Manchester (Reino Unido). É o docente nº 43 da UMinho (1977-), onde é também investigador do Centro Algoritmi, pesquisando desde a eletrónica digital à computação de alto desempenho, incluindo arquitetura de computadores, computação paralela e computação heterogénea, com aplicações nas áreas do património, da visão por computador, da física e da química.

Alberto Proença introduziu o primeiro serviço nacional de computação paralela (1994), presidiu ao Centro de Informática da UMinho e lançou nesta academia o Programa Erasmus para o intercâmbio de docentes e alunos com a Universidade de Bristol (Reino Unido) nos domínios de computação paralela e visão computacional. Presidiu ainda à área da Computação Avançada no programa de cooperação entre a Universidade do Texas em Austin (EUA) e as universidades de Portugal e lidera, desde 2005, os serviços universitários de ensino e investigação em computação paralela com o cluster de computadores heterogéneos SeARCH.

Texto: GCI

Publicado em Deixe um comentário

Dia Mundial da Segurança Alimentar

Dia Mundial da Segurança Alimentar

Os SASUM, em colaboração com a CONTROLSAFE, celebram o Dia Mundial da Segurança Alimentar – 07 de junho, sob o mote: Uma ALIMENTAÇÃO SEGURA é uma RESPONSABILIDADE DE TODOS NÓS. Proteja-se hoje, para aproveitar o amanhã.

Neste âmbito, deixamos um pequeno guia sobre o que é uma intoxicação alimentar, sintomas, causas e tratamento. Para prevenir, damos a conhecer os cinco passos essenciais para uma alimentação mais segura.

Mais informações em:

http://cm.pn/hc1p

Texto: SASUM

Publicado em Deixe um comentário

Dores Rodrigues aposenta-se ao fim de 42 anos ao serviço dos SASUM!

Dores Rodrigues aposenta-se ao fim de 42 anos ao serviço dos SASUM!

Conhecida por muitos dos que diariamente percorrem ou percorreram os campi da Universidade do Minho, Dores Rodrigues, uma das mais antigas trabalhadoras dos Serviços de Acção Social da Universidade do Minho (SASUM) aposentou-se no passado dia 31 de maio, com quase 42 anos de serviço.

Tendo sempre como lema, desde que veio trabalhar para os SASUM em 1982, “dar muita atenção às necessidades dos alunos” porque como diz “se nós existimos é por causa deles”, Dores Rodrigues iniciou a sua carreira nesta Universidade na única cantina existente na altura, na rua D. Pedro V, como auxiliar de alimentação. Durante estes anos passou por quase todas as unidades alimentares dos SASUM em Braga, concluiu a sua carreira na cantina de Gualtar, onde prestava auxílio na cozinha e era presença diária na rampa.

Querida por muitos dos que ali passavam diariamente, afirmou gostar muito do que fazia, de lidar com o público e do convivo com os estudantes “gosto mesmo muito”, disse.

Os colegas de trabalho, no passado dia 29 de maio, prepararam-lhe uma despedida surpresa que a deixou feliz e emocionada. “Sempre soube que tinha uma boa relação com todos, fiquei muito feliz com o carinho dos colegas, foi muito bom”, referiu com a felicidade estampada no rosto. Na hora da saída, e reconhecendo já estar com o coração apertadinho, afirmou que vai “sentir saudades das pessoas e do ambiente que me acompanhou nestes últimos 42 anos”, expondo que “apesar de me sentir feliz aqui, é hora de acalmar e ter mais tempo para mim e para os meus”, “agora vou tentar adaptar-me à boa vida”, disse com um sorriso.

Os SASUM e Academia agradecem o trabalho e a dedicação e desejam à D. Dores muita saúde e felicidades nesta nova etapa da sua vida.

Texto: Ana Marques

Foto: SASUM