Posted on Leave a comment

23.º aniversário da Escola de Medicina marcado por novos projetos e bastante otimismo    

23.º aniversário da Escola de Medicina marcado por novos projetos e bastante otimismo

Num balanço do último ano, o presidente da Escola de Medicina, Jorge Correia Pinto, falou dos desafios impostos, destacando, sobretudo, as dificuldades ultrapassadas que permitiram dar a volta a ?um ano difícil?.

A sessão de comemoração do 23.º aniversário da Escola de Medicina decorreu no passado dia 9 de outubro, no auditório Zulmira Simões, durante a qual foi assinalado, também, o 20.º aniversário do Núcleo de Estudantes de Medicina da UMinho.

O responsável da Escola começou por dizer que, apesar do ?ano difícil?, com ?resiliência e esforço conseguimos dar a volta e manter o barco à superfície?, destacando a ?formação de cerca de uma centena e meia de novos médicos?.

Salientando alguns indicadores do curso, apontou que os graduados da Escola de Medicina da UMinho ?colam sistematicamente como primeiros classificados na seriação nacional?, e à entrada do curso, ?tivemos a mais elevada percentagem de estudantes que escolheram a Escola como primeira opção (87%)?. A qualidade do curso resultou também no acolhimento do primeiro grupo de estudantes oriundos da Western Michigan University Homer Stryker, um programa de internacionalização que visa ?promover oportunidades e desafios da globalização na formação médica de ambas as escolas?, disse, estando em curso parcerias semelhantes com outras entidades norte-americanas, no seguimento da estratégia de internacionalização da Escola.

Segundo Jorge Correia Pinto, a Unidade Orgânica (UO) ambiciona alargar o seu papel na formação e especialização clínica, ?temos consciência da importância e das oportunidades desta vertente e estamos fortemente empenhados nesta missão?, afirmou.

No âmbito da evolução das carreiras, as Escolas Médicas Portuguesas estão a estudar a criação, a nível nacional, de uma carreira específica de docente clínico, ?visa adequar-se aos desafios atuais e aspirações dos nossos clínicos com mais motivação académica?, referiu. Na investigação, serão anunciadas novas conquistas da Escola ?muito em breve?, declarou, em princípio ao nível de captação de financiamento internacional.

O Reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, evidenciou o ?projeto de grande qualidade e bem-sucedido? que é hoje a Escola de Medicina, e, pegando na ?deixa? do presidente da Escola que referiu que já não estávamos numa situação de ?cuidados intensivos?, mas tínhamos passado para uma situação de ?cuidados intermédios?, mostrou-se otimista quanto à situação da UMinho, que foi ?penalizada durante mais de uma década? do ponto de vista orçamental, o que ditou uma ?grave situação de subfinanciamento?, referindo que ?julgo que já não estamos em cuidados intermédios, já estamos na enfermaria e estamo-nos a preparar para abandonar o hospital em que nos encontrávamos. É o que espero que se verifique e os sinais que temos vão nesse sentido?, revelou, tendo por base o cumprimento, pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) da estabilização de uma nova fórmula de financiamento das instituições de ensino superior, ?assente em critérios reconhecíveis e auditáveis, isso está finalmente alterado, e, felizmente, também porque vem criar novas condições para a concretização de um objetivo que estava inscrito no plano de ação da Universidade no período 21-25, o reforço da autonomia das UO?, apontou.

Com esta alteração da fórmula de financiamento, a UMinho passa a estar ?positivamente discriminada?, criando novas condições para o desenvolvimento da sua atividade, e em consequência vai permitir, a atribuição de orçamento próprio às UO ?acrescentando condições de previsibilidade e de estabilidade?, afirmou.

Um dos grandes problemas enunciados pelo responsável máximo da UMinho é, sem dúvida, ?o caso dos investigadores com contrato a termo?, que na academia minhota são hoje cerca de 200 e que irão terminar os seus contratos, maioritariamente, nos próximos dois anos. ?Para lá de ser um problema social, esta situação afeta também e de forma grave a solidez do nosso sistema científico?, referiu.

Para fazer face a isto, Rui Vieira de Castro deu a conhecer o novo mecanismo de financiamento, intitulado ?FCT Tenure?, afirmando olhar ?com alguma expectativa para o novo programa que nos é proposto?, mas alertando para os efeitos que poderão resultar ?caso não se verifique nenhuma alteração na posição do MCTES? face ao problema.

Texto: Ana Marques

Foto: Nuno Gonçalves

Posted on Leave a comment

Escola de Engenharia quer mais autonomia, agilização de processos e assinatura de um contrato-programa

Escola de Engenharia quer mais autonomia, agilização de processos e assinatura de um contrato-programa

Estas foram três das mensagens deixadas pelo presidente da Escola de Engenharia (EEUM), Pedro Arezes, na celebração do 48º aniversário da Unidade Orgânica (UO), decorrida no passado dia 4 de outubro.

O auditório nobre do campus de Azurém, em Guimarães, foi, mais uma vez, o palco para a comemoração do aniversário da instituição, que incluiu os discursos do vice-reitor para a Investigação e Inovação da UMinho, Eugénio Campos Ferreira, e do presidente da EEUM, bem como o reconhecimento público de vários membros da Escola.

?O valor da Escola está sempre associado à excelência do desempenho dos seus membros?, começou por dizer Pedro Arezes, reconhecendo o valor de todos os que trabalham em prol da EEUM, sejam docentes, investigadores ou técnicos, administrativos e de gestão, e até externos, alguns dos quais receberam prémios nesta cerimónia ?uma escolha que não foi fácil?, admitiu o presidente.

Assinalando que a Escola teve, neste último ano, ?um desempenho assinalável?, o responsável elencou alguns factos, como, por exemplo, o caso da Escola, pela primeira vez, ter a média de entrada mais elevada do país no concurso nacional de acesso, 18,86 valores em Engenharia Aeroespacial; a intensa atividade em termos de concursos publicados; a definição do Plano Estratégico da Escola para a próxima década, e o notável desempenho em termos de captação de fundos competitivos no âmbito das agendas mobilizadoras e verdes do PRR, projetos que representam cerca de 33 milhões de euros.

Apesar da satisfação pela performance demonstrada pela EEUM, Pedro Arezes deixou algumas mensagens de desagrado e exigência relativamente a situações que espera ver resolvidas. Indicando que é ?absolutamente urgente que a Escola tenha capacidade de poder planear e desenhar um plano de rejuvenescimento de recursos humanos e retenção de talento?, acrescentando que a UO continua com ?um défice de recursos humanos e de oportunidades de promoção que tenderá a agravar-se?, afirmou. Além disso, refere que é ainda urgente e muito desejada a ?agilização dos processos administrativos, e, sobretudo, capacidade de decisão e autonomia, e fazê-lo em tempo útil?, apontou.

Assumindo-se como um dos principais motores da UMinho, nas palavras do seu presidente, a EEUM ?não pode ficar refém do seu próprio sucesso?, quando, diariamente, não consegue desenvolver projetos por falta de orçamento, ?é preciso que possamos ter um horizonte para as nossas ambições, eventualmente, através de um contrato-programa, figura que a EEUM já solicitou e sobre a qual continuamos sem perspetiva de como a podemos operacionalizar?, afirmou.

Além disso, Pedro Arezes pediu que se ?eliminem os obstáculos à execução de projetos?, apontando a ?simplificação dos atuais e longos processos de contratação?, ?apoio à execução de projetos?, ?simplificação na aquisição de equipamentos?, e não menos importante, ?que seja prevista a manutenção atempada do edificado e dos equipamentos?, indicou.

Da parte da reitoria, em representação do reitor da UMinho, o vice-reitor respondeu a algumas reivindicações da EEUM, dizendo que ?a revisão estatutária em curso dará mais autonomia às Escolas?.

Sobre os recursos humanos, referiu estarem em discussão instrumentos de apoio à vinculação e contratação de investigadores e professores, ?o CRUP tem vindo a defender o estabelecimento de um contrato-programa para a estabilização das instituições científicas?, disse. Acrescentando, ainda, que a UMinho está a preparar ?um programa de incentivos à retenção e atração de talento, nomeadamente, para quem atrai financiamentos europeus elevados?, destacou.

Texto: Ana Marques

Foto: Nuno Gonçalves

Posted on Leave a comment

Agendamento de refeições das cantinas da UMinho

Agendamento de refeições das cantinas da UMinho

A partir do próximo dia 2 de outubro, o acesso às refeições de cantina da UMinho passa a realizar-se exclusivamente de forma digital.

Veja aqui como fazer a sua compra e agendamento de refeições:

1. Registo no Portal dos SASUM

Os utentes devem registar-se no portal, utilizando o seu e-mail institucional*, através do site dos SASUM, no endereço https://www.sas.uminho.pt/, ou através da aplicação móvel dos SASUM, que deverá instalar no seu telemóvel.

Os utentes já registados nas nossas instalações desportivas, já se encontram previamente inscritos! Caso não tenham utilizado a APP do desporto, podem ?recuperar a palavra passe? na APP dos SASUM para o email com que efetuaram o registo nas instalações desportivas. Podem inclusivamente dirigir-se às secretarias dos complexos desportivos, caso tenham dificuldade em efetuar a alteração de alguns dados no portal/aplicação movel.

Os utentes que efetuaram candidatura ao alojamento universitário, encontram-se pré-inscritos! Caso sejam notificados com a informação de que o seu NIF já se encontra registado, podem ?recuperar a palavra passe? para o email com que efetuaram a candidatura ao alojamento.

*Para usufruir das condições e preços especiais para a comunidade académica, deverá realizar o registo utilizando o email institucional da UMinho.

2. Aquisição de Refeições de Cantina

A aquisição de refeições realiza-se através do portal, no site dos SASUM, ou através da APP dos SASUM.

O pagamento das refeições realiza-se via referência multibanco ou MBWay.

 3. Agendamento das Refeições

A partir do dia 2 de outubro, o agendamento/marcação das refeições é obrigatório e deverá realizar-se dentro dos horários indicados no mapa abaixo!

Depois de adquirir as refeições, faça o seu agendamento na APP dos SASUM. Para tal, deverá selecionar o dia em que quer realizar a refeição, a cantina que irá utilizar, a refeição que pretende agendar (almoço ou jantar) e se pretende comer o prato do dia ou o prato vegan.

 

Almoço

Jantar

Opções de pratos

 

To Shedule

(Reserva antecipada da refeição)

Até às 20h00 do dia útil anterior

Até às 12h00 do próprio dia

Prato do dia

Prato vegan

 
 

4. Anulação das Refeições Agendadas

É possível anular o agendamento de refeições. Para o efeito deverá considerar o seguinte:

 

Almoço

Jantar

 

Anulação*

(Anulação de agendamento)

Até às 09h00 do próprio dia

Até às 15h00 do próprio dia

 
 

* Não há devolução de dinheiro das refeições agendadas e que não sejam consumidas nem anuladas.

5. Passagem pelos Torniquetes

A passagem pelos torniquetes realiza-se através da APP.

Para o efeito, quando se encontrar nas cantinas, abra a APP dos SASUM, selecione o código QR que se encontra no canto superior direto da APP e encoste-o ao leitor dos torniquetes para leitura.

Em alternativa, pode associar um cartão* à sua conta que passará no torniquete para leitura.

Para associar um cartão à conta, os utentes deverão dirigir-se a um dos seguintes bares: Bar do CP2 no campus de Gualtar, bar das Residências de St. Tecla no Complexo Residencial de St. Tecla e bar do Auditório no campus de Azurém.

* Recomendamos que utilize o cartão de estudante/trabalhador.

Os utentes que ainda possuam senhas de papel, devem dirigir-se a um dos bares acima mencionados e realizar a troca para a versão digital, até ao dia 31 de dezembro de 2023.

Para mais informações visite as FAQS no endereço https://www.sas.uminho.pt/alimentacao/perguntas-frequentes-alimentacao/ .

Texto: Redação

 

Posted on Leave a comment

HOJE É O DIA NACIONAL DA SUSTENTABILIDADE

HOJE É O DIA NACIONAL DA SUSTENTABILIDADE

Hoje, dia 25 de setembro de 2023, celebra-se pela primeira vez em Portugal o Dia Nacional da Sustentabilidade que pretende reforçar a importância da implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas.

Os Serviços de Acção Social da Universidade do Minho, no âmbito do seu Plano Estratégico de Sustentabilidade, iniciaram, em 2018, a implementação de um Sistema de Gestão Ambiental, transversal a todas as suas atividades e comum a toda a sua estrutura organizacional, tendo como base o referencial normativo ISO 14001:2015. Tornaram-se, assim, nos primeiros Serviços de Acção Social do país a obter tal distinção. Esta distinção foi o resultado de uma estratégia de atuação holística e transversal que tem como objetivo central a redução da pegada ambiental, a promoção de um crescimento sustentável de toda a região e o reforço da qualidade de vida e o bem-estar de toda a Comunidade.

Neste contexto, os Serviços de Acção Social da Universidade do Minho não podem deixar de se associar a esta celebração apelando à responsabilidade de todos na manutenção de um planeta sustentável. Todos temos um papel a desempenhar, todos podemos fazer a nossa parte.

Vamos todos contribuir para um planeta melhor. Precisamos de agir e todas as atitudes nesse sentido contam! 

Redação

Posted on Leave a comment

Maurício Queiroz venceu o prémio de Melhor Estágio Norte 2023

Maurício Queiroz venceu o prémio de Melhor Estágio Norte 2023

O trabalhador dos Serviços de Ação Social da Universidade do Minho (SASUM), foi galardoado na categoria de ?Colégio de Engenharia Informática?.

Maurício da Costa Queiroz desempenha funções nos SASUM há 26 anos, atualmente é especialista de Informática, grau 1, nível 3, na Divisão de Sistemas de Informação. O prémio foi entregue no Dia Regional do Engenheiro, no passado dia 8 de julho, no Espaço Vita em Braga.

O galardão reconhece os jovens Engenheiros que agora terminaram o seu estágio de acesso à Ordem. O estágio, realizado nos SASUM, sobre a supervisão do Professor António Luís Duarte Costa do Departamento de Informática da UMinho, surgiu da necessidade de melhorar as capacidades analíticas dos SASUM relativamente às vendas efetuadas na sua atividade alimentar (cantinas, bares, grills, serviço de takeaway e restaurantes). O mecanismo resultante do estágio vai permitir aos Serviços, investigar a origem das suas vendas num espaço de tempo mais alargado e refinado, possibilitando efetuar, por exemplo, simulações de alterações à sua estratégia de vendas. A par do estágio, o trabalhador concluiu também o seu Mestrado em Engenharia Informática.

?Ser reconhecido como o melhor estagiário na região norte pela Ordem dos Engenheiros é um feito muito significativo na minha jornada académica e profissional. Em primeiro lugar, é uma validação do esforço e dedicação que coloquei ao longo do meu estágio e vida profissional. Significa que o meu trabalho foi apreciado e reconhecido por profissionais experientes da área de informática, o que é muito gratificante. É uma prova de que a aprendizagem contínua e a busca por novos conhecimentos, são fundamentais para o desenvolvimento de um engenheiro de sucesso. Durante todo o percurso nos SASUM, sempre tentei absorver o máximo de informações e experiências possíveis, e este reconhecimento destaca a importância de nunca parar de aprender e aprimorar as minhas habilidades técnicas. Além disso, ao ser reconhecido pela Ordem dos Engenheiros, essa distinção valida a qualidade da minha formação académica, demonstrando que estou no caminho certo para me tornar um engenheiro competente e comprometido com a excelência na minha área de atuação?, destaca Maurício Queiroz.

O galardão foi atribuído pela Ordem dos Engenheiros da Região Norte (OERN), em nove categorias, tendo sido entregue um cheque com um valor monetário de 500 euros a cada premiado.

O evento juntou mais de 400 engenheiros para um dia que foi, não só de celebração da Engenharia, mas também de homenagens, distinções e reconhecimento dos engenheiros da OERN. Para além dos premiados e homenageados, contou com as presenças de António Adão da Fonseca, Presidente da Mesa da Assembleia Geral da OERN, Leonel Cunha e Silva, Delegado Distrital de Braga, Bento Aires, Presidente do Conselho Diretivo da OERN, Fernando de Almeida Santos, Bastonário da Ordem dos Engenheiros, e Ricardo Rio, Presidente da Câmara Municipal de Braga.

Rosa Vasconcelos, professora da Escola de Engenharia da Universidade do Minho e atual Provedora do Estudante, foi também homenageada na cerimónia, um reconhecimento pelo seu contributo em prol da engenharia, sendo-lhe destacada a capacidade de resiliência, compromisso e amizade, considerada um exemplo para muitos.

Texto: Ana Marques

Foto: Ordem dos Engenheiros

Posted on Leave a comment

António Raminhos falou de saúde mental com humor!

António Raminhos falou de saúde mental com humor!

A iniciativa denominada de ?E se?” decorreu no passado dia 18 de setembro, no campus de Gualtar da Universidade do Minho (UMinho), e juntou o humorista António Raminhos com profissionais ligados à saúde mental, com o objetivo de alertar, sensibilizar e contribuir para o diálogo em torno dos problemas da saúde mental.

A ação, promovida pela Associação de Psicologia (APsi) e pela Associação Académica da Universidade do Minho, no contexto da campanha de prevenção do suicídio “Setembro Amarelo”, teve como público principal adultos jovens, no caso específico, os estudantes da Universidade.

Além do humorista, a conversa contou com as intervenções de Eugénia Ribeiro (coordenadora da Unidade de Intervenção Psicológica da APsi-UMinho e professora da Escola de Psicologia da UMinho), Pedro Morgado (professor da Escola de Medicina da UMinho e coordenador para a saúde mental da ARS-Norte) e Mariana Mangas (psiquiatra e autora do livro “Não há Mal que Sempre Dure?). Uma conversa que pretendeu desmistificar a saúde mental e o sofrimento psicológico associado, bem como promover a literacia nesta área entre os universitários.

De forma humorística e divertida, António Raminhos falou dos problemas de ansiedade e do foro obsessivo-compulsivo dos quais sofre, partilhou com o público a sua experiência de vida e os problemas relacionados com a sua saúde mental, sempre moderada pelo humor, conseguindo chegar à interação e participação do público. ?Faz todo o sentido ter estas conversas, mas a malta ainda tem alguma dificuldade em falar sobre o tema?, disse. Quanto a esta iniciativa na Academia minhota, o humorista referiu que, ?podermos falar de maneira pública e fazer estas partilhas com profissionais de saúde, é sempre de valorizar?.

Segundo Eugénia Ribeiro, ?os estudantes do ensino superior são um grupo de risco para o desenvolvimento de problemas de saúde mental?, salientando a relevância de ações de sensibilização para a importância de cuidar da saúde mental, afirmando que “estão previstos outros eventos como workshops e webinars, visando promover a literacia em saúde mental e também uma ação ao nível do estigma junto quer dos estudantes, quer de outros interlocutores da Universidade que lidam diretamente com os alunos”, refere.

A responsável expôs ainda que a APsi dispõe de diversas consultas para jovens adultos, estando disponíveis para quem precisa e necessita de ajuda.

Pedro Morgado referiu que ?é estigma confundir a pessoa com a doença?, o que é errado, sendo que esta é apenas ?uma doença de pensamentos estúpidos em pessoas que não são estúpidas, e por isso reconhecem que têm pensamentos estúpidos, daí a vergonha em contar e falar sobre isso?.

Texto: Ana Marques

Fotos: Nuno Gonçalves

Posted on Leave a comment

UMinho deu as boas-vindas aos novos estudantes num novo formato

UMinho deu as boas-vindas aos novos estudantes num novo formato

Este ano, a Academia minhota optou por uma forma diferente de acolher os alunos do primeiro ano, transmitindo uma mensagem de uma Universidade cool, proporcionando aos quase 3000 novos estudantes um acolhimento num ambiente livre e descontraído.

A Universidade do Minho (UMinho) recebeu, numa cerimónia de boas-vindas, os cerca de 3000 novos estudantes que este ano ingressaram na Academia na 1.ª fase do concurso nacional de acesso ao Ensino Superior. Decorrida pela primeira vez no ?campus? de Azurém, em Guimarães, a sessão contou com as intervenções do reitor, Rui Vieira de Castro, da presidente da Associação Académica (AAUMinho), Margarida Isaías, e do Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Pedro Nuno Teixeira.

Marcada por um ambiente informal e descontraído, ao contrário dos anos anteriores, a sessão teve lugar ao ar livre, nos “Jardins da Lola”, após um piquenique-convívio entre todos, mais uma das iniciativas promovidas no âmbito das comemorações dos 50 anos da Universidade, o qual decorreu ao som da música ?jazz? do Trio de Paulo Barros. Uma iniciativa que foi do agrado dos recém-universitários que aproveitaram o momento para se conhecer melhor, para conviver com colegas de curso e de outros cursos, para interagirem com os cerca de 400 colegas mais velhos que participaram na atividade e no acolhimento como ?embaixadores? da UMinho.

As intervenções, também elas bastante informais e sem discursos lidos, ficaram marcadas por mensagens de encorajamento, desafio e avisos sobre o futuro, um futuro que ganha agora, nesta chegada ao ensino superior, outro sentido e outra dimensão

Num abre olhos, o reitor lembrou que a discriminação não tem lugar na UMinho, ?seja de que natureza for, não tem lugar na UMinho?, disse. Afirmando que a instituição ?coloca no centro das suas preocupações a salvaguarda e promoção da dignidade da pessoa humana?, declarando que ?a instituição não pode e não quer transigir com aquilo que são violações de regras fundamentais na relação entre as pessoas?, garantindo que, ?a liberdade é um valor essencial nesta instituição?.

Rui Vieira de Castro recomendou aos novos alunos a leitura do Código de Conduta Académica da UMinho, onde estão expressos os valores por que se rege a Academia. 

O responsável máximo da UMinho incentivou ainda os ?caloiros? a envolverem-se na produção de conhecimento, afirmando que ?ser estudante do ensino superior não pode ser apenas replicar aquilo que outros disseram antes de nós. É também preparar caminhos para que vocês sejam também produtores de conhecimento. Nessa medida, o envolvimento em práticas de investigação é algo que vamos esperar de vocês, desde muito cedo, nos vossos percursos académicos nesta instituição?.

A presidente da AAUMinho proferiu, como primeiras palavras, ?bem-vindos à melhor academia do país?. Destacando a excelente escolha do espaço para a sessão de boas-vindas, apelou a todos os estudantes para usufruírem mais dos espaços verdes que existem nos campi universitários.

Margarida Isaías garantiu aos novos alunos que estes serão os melhores anos das suas vidas e que a Associação está empenhada em ajudar na resolução dos problemas de todos os estudantes.

Pedro Nuno Teixeira, começou por afirmar que a chegada dos novos alunos ?é o dia mais importante para a UMinho?, pois são os novos alunos que ?mantém vivas as universidades?, disse. Realçando o valor da Universidade para a região e para o país, referiu que a instituição dá ?perspetiva de futuro às cidades, ao país e ao ensino superior?.

Texto: Ana Marques

Foto: Nuno Gonçalves

Posted on Leave a comment

Welcome Day deu as boas-vindas aos estudantes de intercâmbio na UMinho

Welcome Day deu as boas-vindas aos estudantes de intercâmbio na UMinho

São cerca de 200 estudantes de 23 países que neste primeiro semestre escolheram a Universidade do Minho (UMinho) para fazer o seu intercâmbio. Para os receber, a Universidade preparou um programa de acolhimento (Welcome Day), iniciativa que visou a melhor integração de todos.

 

Com sessões de apresentação e informação sobre a Academia, Serviços, valências e iniciativas que podem aceder e usufruir durante a sua estadia na UMinho, os estudantes internacionais em intercâmbio forma recebidos, durante a manhã, pela vice-reitora para a Educação e Mobilidade Académica, Filomena Soares e pela diretora do Serviço de Apoio à Internacionalização, Ana Esteves.

Na sua mensagem de boas-vindas, a vice-reitora patenteou a ideia de que devem aproveitar a permanência na UMinho, não só para ?saírem daqui mais ricos em termos de conhecimento técnico-científico?, mas para aproveitarem para levar na bagagem outras vivências que não só o estudo ?é quase um crime não desfrutar das outras coisas que a Universidade vos oferece, sejam elas atividades desportivas, culturais ou recreativas. Certamente terão tempo para tudo?, disse.

Também a diretora do Serviço de Apoio à Internacionalização apelou para aproveitarem a passagem pela Academia minhota, pela região e pelo país para viverem as mais ?diversas experiências?. Na apresentação feita pela responsável, os participantes ficaram a conheceram mais sobre a Universidade, a qual tem 12 Escolas/Institutos e cerca de 20.000 alunos, entre os quais se contam cerca de 3000 estudantes internacionais (a frequentar um curso conferente de grau), sendo que envia e recebe cerca de 1000 estudantes, por ano, em intercâmbio.

Ana Esteves enumerou ainda 10 factos que fazem da UMinho uma referência a nível nacional e internacional.

Após o Coffee break, os estudantes assistiram à apresentação de algumas das valências e iniciativas da UMinho, como os Serviços de Apoio às Atividades de Educação, os Serviços dos Sistemas de Informação e Comunicações, os Serviços de Documentação e Bibliotecas, os Serviços de Ação Social, a Associação Académica, a Erasmus Student Network – Minho, a Associação de Psicologia, o programa Tutorias por Pares, o curso de Português Língua Estrangeira – BabeliUM e a Provedoria do Estudante.

Após o almoço na cantina, os participantes partiram à descoberta do ?campus?, num peddy-paper com a colaboração da AAUMinho e da Erasmus Student Network – Minho.

Os cerca de 200 estudantes vieram da Alemanha, Brasil, Espanha, Japão, Lituânia, Países Baixos, Reino Unido, Roménia, Tunísia e Uruguai.

Ana Marques

Posted on Leave a comment

SASUM renovam Site e alargam prestação de serviços digitais

Plataformas Digitais SASUM

SASUM renovam site e alargam prestação de serviços digitais

Vai ser possível comprar senhas de refeição, serviços desportivos, agendar consultas, consultar histórico ou reservar espaços à distância, de forma desmaterializada, rápida e segura.

Os Serviços de Acção Social da Universidade do Minho têm um novo site que funciona como porta de acesso a uma oferta renovada dos seus canais e plataformas digitais, aumentando os serviços a disponibilizar por esta via.

A renovação do site www.sas.uminho.pt pretendeu tornar a navegação mais prática e intuitiva, promovendo maior rapidez de acesso e consulta de informação para todos os visitantes, ao mesmo tempo que passou a incorporar o portal SASUM que permitirá aceder a serviços que até agora eram apenas prestados presencialmente ou por telefone.

Para além da renovação e modernização do site www.sas.uminho.pt , os SASUM aumentaram a abrangência dos serviços online com o desenvolvimento de uma aplicação móvel.

 

Através do Portal dos SASUM e da Aplicação móvel, será possível:

– Aceder a informações sobre candidaturas a bolsas de estudo e alojamento

– Agendamento de consultas médicas

– Agendamento de avaliações físicas e planos de treino

– Reservas de aulas fitness e de instalações desportivas

– Marcação e compra de refeições de cantina

– Acesso a campanhas, descontos e preços especiais para a comunidade académica

A aplicação está disponível e pode ser descarregada para sistema Android e iOS

Registe-se já!

Posted on Leave a comment

Supercomputador Deucalion foi inaugurado na UMinho

Supercomputador Deucalion foi inaugurado na UMinho

O supercomputador português foi inaugurado no passado dia 6 de setembro, na Escola de Arquitetura, Arte e Design da Universidade do Minho, no campus de Azurém, em Guimarães. A sessão contou com a presença do primeiro-ministro, António Costa, que disse tratar-se de um passo no sentido de transpor o “Made in” para o “Created in Portugal”.

A inauguração contou ainda com a presença da Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato, da Presidente da FCT, Madalena Alves, do Reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, entre outras personalidades.

O Deucalion custou perto de 20 milhões de euros, dos quais 35% provém da União Europeia e os restantes 65% do orçamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT). Este é o mais rápido de sempre e estará acessível à comunidade académica, empresas e administração pública.

O Deucalion é o sétimo supercomputador da European High Performance Computing (EuroHPC) instalado na União Europeia, e o recurso computacional mais potente e avançado em Portugal.  Com 26 toneladas, está previsto que este supercomputador tenha capacidade para executar 10 milhões de biliões de cálculos por segundo, visando acelerar a produção de ciência e inovação de excelência em Portugal em domínios como inteligência artificial, medicina personalizada, design de fármacos e novos materiais, observação da Terra e oceanos, combate às alterações climáticas e fogos, criação de smart cities, ordenamento do território, mobilidade e veículos autónomos são alguns exemplos. O novo equipamento significa assim um salto para a ciência portuguesa na capacidade de cálculo e na velocidade com que analisa dados ou problemas, ou seja, o supercomputador demora uma hora a analisar um problema que um computador portátil demoraria 20 ou 30 anos.

Este agregado computacional ocupa duas filas de 26 armários de dois metros de altura, pelo menos 1900 metros de fibra ótica e 2359 cabos de alta velocidade, que garantem a rapidez de processamento e um sistema de armazenamento de dados de alto desempenho, a par de uma alta eficiência energética. Apelidado como supercomputador “verde”, prevê-se que o Deucalion venha a consumir mais de um megawatt-hora, o equivalente à quantidade de eletricidade usada por cerca de 330 casas durante uma hora, porém, o objetivo é que não use qualquer fonte de energia fóssil.

Segundo António Costa ?hoje temos condições que antes não tínhamos, condições essas que permitirão acelerar o processo de crescimento do país.  Temos um sistema científico e empresarial que nos garante que esta ferramenta não será em vão?, afirmou. Frisando que o Deucalion permite que Portugal ?se orgulhe em estar na primeira linha da supercomputação europeia?.

Para Elvira Fortunato, a infraestrutura, ?além de ser fundamental para responder às crescentes necessidades de processamento de grandes volumes de dados, permitirá a execução de simulações complexas e análises de dados de grande escala?.

O reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro, destacou o significado do dia para a Universidade, e para todas as universidades, dado o papel decisivo que estas desempenham no desenvolvimento tecnológico do país e no progresso da ciência. ?Assumimos esta instalação como uma oportunidade única para integrar comunidades e estruturar a investigação?, disse.

Neste momento, o Deucalion ainda não está a funcionar em pleno. De acordo com Rui Vieira de Castro, seguem-se testes em que “as comunidades científicas estão a ser mobilizadas”.

A FCT irá lançar concursos de acesso a esta infraestrutura e estão igualmente previstos programas específicos de apoio às Pequenas e Médias Empresas (PME), administração pública e permitir o acesso a tempo de cálculo para projetos já financiados. ?O supercomputador está preparado para apoiar mais de 200 projetos por ano e multiplica por dez a capacidade de computação nacional?, referiu Madalena Alves.

Texto: Ana Marques

Foto: Nuno Gonçalves