Posted on Leave a comment

Instituto de Educação celebrou 48 anos com os olhos postos no futuro

Instituto de Educação celebrou 48 anos com os olhos postos no futuro

O Instituto de Educação (IE) da Universidade do Minho assinalou no passado dia 11 de dezembro, o seu 48.º aniversário. A cerimónia comemorativa ficou marcada por algumas críticas e pelos desafios futuros colocados à unidade orgânica.

A sessão contou com as intervenções do reitor Rui Vieira de Castro, da presidente do IE, Beatriz Pereira, e da representante dos estudantes do IE. Assistiu-se ainda a uma mensagem em vídeo enviada pelo professor António Sampaio da Nóvoa, onde abordou o futuro da Educação.

Num balanço do que tem sido a atividade do IE, dos problemas com que se tem deparado e das oportunidades que se vislumbram, Beatriz Pereira começou por evocar a necessidade de se “tomar decisões estratégicas capazes de otimizar a relação custo-benefício e ir buscar novos públicos para a nossa oferta formativa e para a prestação de serviços à comunidade e à sociedade?.

Criticando os procedimentos de desbloqueio de verbas para projetos de investigação e de projetos institucionais, referiu que ?enfrentam dificuldades de funcionamento?, apelando a que ?é necessário que esses pagamentos sejam efetuados com a maior brevidade possível?.

A presidente do IE assumiu ser ?necessária uma reflexão séria sobre a abertura de novos cursos e, eventualmente, a não abertura de outros?, afirmando que tem de ?responder de forma equilibrada a um público maioritariamente nacional, mas não descurar a importância da internacionalização?. Internacionalização essa que potencia, ?outras iniciativas suscetíveis de valorizar o nosso corpo discente, docente e de trabalhadores técnicos, administrativos e de gestão?, indicou.

Respondendo aos desafios da UMinho, o IE ofereceu um curso de especialização e diversos cursos de curta duração que tiveram, segundo a responsável do Instituto, ?boa procura?. Relativamente aos dois centros de investigação da unidade orgânica, esclareceu que, ?tem havido um diálogo efetivo e produtivo entre os dois, de forma a identificar os benefícios, oportunidades e limitações de uma possível fusão?, disse.

Para Rui Vieira de Castro, e passados quase 50 anos da criação do IE, o Instituto deve ?olhar para as circunstâncias, para os desafios e para as oportunidades, como condição para responder às expectativas que nele são depositadas pela UMinho?. Apontando como os grandes desafios de hoje para a unidade orgânica, ?o envelhecimento do corpo docente e a dificuldade da sua renovação?, desafios estes que são consequência da quebra da procura da oferta educativa do IE, por efeito do superavit de professores no nosso país; indicando ainda a dificuldade do IE em dar expressão ao seu potencial de investigação, o que segundo o Reitor da UMinho, levou a um ?desequilíbrio estrutural em resultado de desajustamentos entre aquilo que é a capacidade instalada e a procura dos seus projetos de formação?, disse.

Como forças do IE para ultrapassar as dificuldades, o responsável máximo da UMinho destacou, a sua ?experiência?, o ?capital de conhecimento acumulado?, ?um corpo de conhecimento científico riquíssimo?, ?uma rede de relações com entidades do setor socioeducativo particularmente forte?, ?alguma retoma na procura da formação de professores?, ?a existência de agendas socioeducativas ao nível dos municípios?, ?a existência de oportunidades de recuperação ao nível da formação por efeito da nossa interação com entidades dos países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)?. Olhando para este conjunto de oportunidades, afirmou ?impõe-se a necessidade de uma estratégia refletiva que perspetive o futuro?.

Indicando a necessidade do IE procurar novos objetos e novos projetos, através da reorganização dos seus projetos de ensino, tais como, a formação não conferente de grau, que disse, ?estará no centro da atividade formativa da própria Universidade”.

O IE disponibiliza licenciaturas, mestrados e (pós-)doutoramentos nas áreas de Estudos da Criança, Formação de Educadores e Professores, Ciências da Educação e Interfaces de Educação e Desenvolvimento Humano. Possui duas unidades de I&D reconhecidas. O ensino, a pesquisa e a interação com a sociedade têm sido pretexto para uma cooperação nacional e internacional intensa, com projetos e serviços que se estendem em particular à lusofonia.

Texto: Ana Marques

Foto: Nuno Gonçalves

Posted on Leave a comment

Prémio UMinho de Iniciação na Investigação Científica 2023 é entregue hoje

Prémio UMinho de Iniciação na Investigação Científica 2023 é entregue hoje

A cerimónia do Prémio UMinho de Iniciação na Investigação Científica 2023 realiza-se esta terça-feira, dia 12, das 14h00 às 18h15, nos auditórios B1, B2 e sala 1.31 (edifício 2) do campus de Gualtar, em Braga. Estudantes de licenciatura e mestrado integrado vão apresentar 27 projetos.

Vinte e sete estudantes de licenciatura e dos primeiros anos de mestrado integrado desenvolveram nos últimos meses os seus projetos científicos envolvidos em equipas de reconhecido mérito na UMinho e vão agora apresentar, à vez, os seus resultados. Prevê-se três sessões paralelas, que contam na abertura com a vice-reitora para a Educação e Mobilidade Académica, Filomena Soares.

Entre os temas a abordar estão, por exemplo, a digitalização da justiça concorrencial, as técnicas de reconhecimento facial, um sistema de entrega de drogas na terapia do cancro, a competência emocional dos universitários, os padrões na pesca do cerco, a energia de chuveiros cósmicos, o impacto das escolas industriais e novos materiais para detetores de luz.

Palestra de Graça Coelho

Às 17h30, está prevista uma palestra da diretora-geral da Cachapuz Bilanciai Group, Graça Coelho. Os vencedores da terceira edição do Prémio UMinho de Iniciação na Investigação Científica são conhecidos pelas 17h45, sendo a sessão de encerramento a cargo do vice-reitor para a Investigação e Inovação, Eugénio Campos Ferreira.

Esta iniciativa anual, promovida pela Reitoria em articulação com os centros de investigação, visa permitir que os estudantes do 1º ciclo da UMinho se envolvam em contextos reais de investigação, trabalhem em equipas que lidam com conhecimento novo e relevante, tenham a supervisão de cientistas reconhecidos e, ainda, aprofundem o interesse pela ciência. O prémio inclui um certificado e um valor pecuniário de 500 euros.

Texto: GCI

Posted on Leave a comment

UMinho promoveu a primeira edição do Global Mobility Forum

UMinho promoveu a primeira edição do Global Mobility Forum

A Universidade do Minho (UMinho) organizou no passado dia 7 de dezembro, a primeira edição do Global Mobility Forum. Sob o tema ?International Experiences from the UMinho Community” foram dadas a conhecer as experiências de mobilidade de docentes, investigadores e estudantes pelos quatro cantos do mundo.

O evento veio patentear a importância que a UMinho dá à dimensão da internacionalização ao nível da mobilidade e a forte dinâmica da academia minhota nesta área.

Com intervenções do vice-reitor para a Investigação e Inovação, Eugénio Campos Ferreira, da vice-reitora para a Educação e Mobilidade Académica, Filomena Soares, e da pró-reitora para os Projetos Científicos e Gestão da Investigação, Sandra Paiva, a sessão contou ainda com a partilha de experiências, na primeira pessoa, de docentes, investigadores, estudantes e técnicos da UMinho, que abordaram as suas vivências ao abrigo de programas de intercâmbio nas áreas de investigação, ensino ou gestão pela América do Norte, América Central e do Sul, em África, na Ásia e Oceânia e na Europa.

O evento serviu para reunir e mostrar a vasta experiência da UMinho a nível da mobilidade internacional e o valor que estas experiências trazem para Universidade e para a sua comunidade.

Como referiu Sandra Paiva, ?são várias as tipologias de mobilidade em diferentes âmbitos: na investigação, no ensino, na gestão, no voluntariado, bem como as diversas possibilidades e os diversos mecanismos de financiamento?.

Com uma grande tradição no incentivo à mobilidade global, a UMinho tem, segundo Filomena Soares, ?proporcionado oportunidades únicas a toda a sua comunidade, potenciando a expansão dos seus horizontes?. Experiências que refere, ?não são enriquecedoras apenas a nível individual, mas sem dúvida contribuem também para a diversidade e excelência que caracterizam a nossa Universidade?.

Segundo esta, o evento teve como objetivo, ?inspirar e motivar outros na procura de oportunidades internacionais, promovendo o intercâmbio de conhecimentos e de cultura, bem como de amizades?.

Para Eugénio Campos Ferreira, a mobilidade ?faz parte do nosso ADN há muitos anos?, por isso, deixa um apelo a toda a comunidade que participe nos programas de intercâmbio, ?são experiências que são uma mais-valia para a formação de cada um, experiências enriquecedoras que importa aproveitar?, disse.

O evento contou ainda com uma mesa-redonda que debateu as perspetivas de liderança na mobilidade global. O momento juntou à conversa o Reitor, Rui Vieira de Castro, a coordenadora para o Ensino Superior da Agência Nacional Erasmus+, Carla Ruivo, o CEO do Grupo Casais, António Carlos Rodrigues, a diretora-executiva da Comissão Fulbright, Otília Macedo Reis, e o gestor de Ciência e Inovação da Embaixada do Reino Unido em Portugal, Frederico Lyra. A moderação coube à professora e eurodeputada Isabel Estrada Carvalhais.

Texto: Ana Marques

Foto: Nuno Gonçalves

Posted on Leave a comment

IB-S deseja ser uma Unidade Orgânica Transdisciplinar

IB-S deseja ser uma Unidade Orgânica Transdisciplinar

O IB-S – Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade da Universidade do Minho celebrou no passado dia 5 de dezembro, o seu sexto aniversário. A cerimónia comemorativa destacou a ousadia e o grande potencial do projeto que quer ser uma Unidade Orgânica Transdisciplinar da Universidade do Minho (UMinho).

A sessão contou com as intervenções do pró-reitor para a Sustentabilidade e Gestão dos Campi da UMinho, Miguel Bandeira, e da coordenadora do IB-S, Cláudia Pascoal, realizaram-se ainda duas mesas-redondas.

O pró-reitor da UMinho qualificou o IB-S como um projeto ?ousado, de grande alcance, que reflete o dinamismo e a inquietude no futuro?, um projeto de grande ?potencial? e ?importância?, ?dinâmico e promissor? pelos temas que agrega, salientou.

Apontando como desafios do Instituto, o problema do ?emprego científico em Portugal, do financiamento da investigação e a integração dos doutorados no tecido empresarial?, desafios que disse, ?passam pelo relacionamento com a sociedade que se tem de tornar mais explícito, mais claro e presente?.

Sobre a possibilidade do IB-S se tornar uma Unidade Orgânica da UMinho, Miguel Bandeira refere que é uma ?expectativa legítima?, indicando que o caminho deverá ser feito, devendo-se ?explorar a possibilidade de uma possível Unidade Orgânica Interdisciplinar no contexto dos nossos Estatutos?, apontou.

Cláudia Pascoal assinalou como grande desafio do IB-S, tentar casar o interesse do ambiente natural com o ambiente construído e o desenvolvimento económico, ?tem de casar, tem de haver aqui um propósito comum?, disse, afirmando que ?é o que fazemos no IB-S?. O Instituto nasceu de dois centros de investigação – Centro de Biologia Molecular e Ambiental (CBMA) e o Instituto para a Sustentabilidade e Inovação em Estruturas de Engenharia (ISISE), ?interesses diferentes, mas que se complementam, é o que temos tentado fazer durante estes anos?, frisou.

Ao longo do seu trajeto foram mais de 70 projetos e mais de 13 milhões de euros captados, sendo que o IB-S incorpora cerca de 250 investigadores. ?Parte destes investigadores não são staff permanente, é uma preocupação para nós manter este staff connosco, precisamos deles para continuar a produzir ciência e inovação?, referiu a coordenadora do IB-S, mostrando a sua preocupação com a “instabilidade na carreira de investigação” e esperando que ?melhores e boas oportunidades surjam?. O IB-S tem ainda parceria com cerca de vinte empresas em projetos na área do mar e da economia azul, da biodiversidade, do capital natural, da economia circular e da resiliência do ambiente natural e construído.

Terminando, Cláudia Pascoal deixou um repto para o próximo ano, ?que consigamos estabilizar a equipa, consigamos mais emprego científico e consigamos realizar o desejo de criar uma Unidade Orgânica Transdisciplinar construída por várias Escolas?. ?Esperemos que estes desejos se materializem?, concluiu.

Texto: Ana Marques

Foto: Nuno Gonçalves

Posted on Leave a comment

Instituto de Educação da UMinho celebra o seu 48.º aniversário

Instituto de Educação da UMinho celebra o seu 48.º aniversário

O Instituto de Educação (IE) da Universidade do Minho assinala o 48º aniversário na próxima segunda-feira, dia 11, com uma cerimónia pelas 14h30 no seu auditório multimédia (edifício 13), no campus de Gualtar, em Braga. A sessão conta com as intervenções do reitor Rui Vieira de Castro, da presidente do IE, Beatriz Pereira, e da representante dos estudantes do IE.

O programa inicia com um momento musical pela aluna Maria João Macedo Soares, discurso da presidente do IE, intervenção da representante dos estudantes, inclui a entrega do ?Prémio Almedina? e o reconhecimento simbólico dos professores aposentados. Prevê-se igualmente a conferência ?Educação: Libertar o Futuro?, do professor António Sampaio da Nóvoa, da Universidade Nova de Lisboa e o discurso do reitor Rui Vieira de Castro. O encerramento é pelas 16h30, com o corte do bolo comemorativo.

O aniversário do IE ocorre aquando do Dia Internacional dos Direitos Humanos (10 de dezembro), relembrando também a Declaração Universal dos Direitos Humanos, adotada há precisamente 75 anos pela ONU.

O IE disponibiliza licenciaturas, mestrados e (pós-)doutoramentos nas áreas de Estudos da Criança, Formação de Educadores e Professores, Ciências da Educação e Interfaces de Educação e Desenvolvimento Humano. Possui duas unidades de I&D reconhecidas. O ensino, a pesquisa e a interação com a sociedade têm sido pretexto para uma cooperação nacional e internacional intensa, com projetos e serviços que se estendem em particular à lusofonia. O site oficial é www.ie.uminho.pt.

Texto: GCI

Foto: Nuno Gonçalves

Posted on Leave a comment

Está lançado o Projeto “UMinho em Campo: Juntos na Transformação”

Está lançado o Projeto "UMinho em Campo: Juntos na Transformação"

Unidade curricular opcional dedicada ao voluntariado e integração da componente de voluntariado nas UC?s serão realidades no próximo ano letivo.

A Universidade do Minho (UMinho) lançou ontem, dia 5 de dezembro, o seu projeto de voluntariado, uma iniciativa que visa promover o bem-estar social e a solidariedade em toda a comunidade académica. Designado de “UMinho em Campo: Juntos na Transformação”, o projeto envolverá, já a partir do próximo ano letivo, a criação de uma nova ?opção UMinho?, uma unidade curricular opcional dedicada ao voluntariado e a integração de uma componente de voluntariado nas Unidades Curriculares (UC?s).

Este projeto, que reconhece a importância de ligar a dimensão pedagógica a causas sociais e solidárias, foi apresentado pela Vice-Reitora para a Educação e Mobilidade Académica, Filomena Soares e pela coordenada do projeto, Sílvia Araújo, perante uma plateia de muitos estudantes, docentes e trabalhadores da Universidade.

Antecedendo esta apresentação, a Comissão de Implementação do Voluntariado UMinho fez uma análise sobre as atividades de voluntariado existentes na Academia, seja nas unidades orgânicas, nos grupos de estudantes, na Associação Académica ou iniciativas individuais, atividades que segundo Filomena Soares, ?continuarão a acontecer?, acrescentando que, ?o projeto que estamos hoje a lançar tem como objetivo, reconhecer e promover todas estas atividades, e também outras enquadradas em projetos educativos?, disse.

O projeto visa, também, unir estudantes, docentes e funcionários da Universidade em ações voluntárias significativas, ao mesmo tempo que procura fortalecer parcerias com empresas que partilham a visão de responsabilidade social e estão dispostas a apoiar a UMinho nas causas sociais e solidárias. ?É através desta interação entre educação e a interação com a comunidade que vamos conseguir desenvolver as tão importantes competências transversais de que tanto se fala e que nem sempre há espaço nas salas de aula para as desenvolver?, apontou a coordenada do projeto. Afirmando que ?é um dever da UMinho desenvolver a sensibilidade dos nossos jovens para esta agenda?.

A conexão às empresas é também um dos grandes objetivos, através dos projetos de voluntariado, mas para além das fronteiras da caridade, a UMinho quer que os seus alunos possam levar conhecimento para fora dos seus muros, e nessa interação, crescerem e contribuírem ?para encontrar soluções para intervir de forma efetiva no futuro do planeta?, sublinhou Sílvia Araújo.

A proposta ?arrojada? desta Comissão, é, segundo a sua coordenadora, primeiro, ?oferecer, já no próximo ano letivo 2024/2025, uma opção UMinho que se chamará “UMinho em Campo: Juntos na Transformação”, uma opção oferecida a todos os estudantes da Universidade, para que os alunos de licenciatura possam ter, logo desde o primeiro contacto com a Universidade, um contacto também com a sociedade?, referiu.

Em segundo, a Comissão achou que seria interessante ?desafiar todos os docentes da UMinho a integrar uma componente de voluntariado nas suas UC?s, para que os alunos possam aplicar em contexto o que aprenderam na componente teórica da disciplina?, indicou.

Para que isto seja possível, já em janeiro, dia 9, vai ser facultada a primeira formação aos docentes, em Aprendizagem-Serviço, no intuito de facilitar o redesenho curricular da sua disciplina, de forma a conseguir integrar a vertente do voluntariado na UC.

Este é já um movimento europeu, a que a UMinho se está agora a juntar.

A Comissão de Implementação do Voluntariado UMinho, designada pela Vice-Reitora para a Educação e Mobilidade Académica, Professora Filomena Soares, é coordenada por Sílvia Lima Gonçalves Araújo e tem como membros Anabela Alves, António Vicente, Celina Pinto Leão, Pedro Albuquerque e um representante da Associação Académica da UMinho.

No Dia Internacional do Voluntário, foram ainda apresentados os resultados de um inquérito sobre o envolvimento dos estudantes da UMinho em projetos de voluntariado, revelando-se que cerca de 3% dos estudantes da Academia estão ligados a projetos de voluntariado, cerca de 600 alunos. Mais de metade diz ser voluntário por acreditar ?ser um dever ajudar a comunidade, para apoiar as causas em que acredita ou para aplicar em contexto real os princípios de vida?.

Texto: Ana Marques

Foto: Nuno Gonçalves

Posted on Leave a comment

IB-S da UMinho celebra hoje o sexto aniversário

IB-S da UMinho celebra hoje o sexto aniversário

O IB-S ? Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade da Universidade do Minho assinala esta terça-feira o seu sexto aniversário, com uma cerimónia às 14h30 no auditório B1 do campus de Gualtar, em Braga. A sessão abre com o pró-reitor para a Sustentabilidade e Gestão dos Campi da UMinho, Miguel Bandeira, e a coordenadora do IB-S, Cláudia Pascoal, que vai apresentar as atividades do Instituto.

Fundado numa parceria entre o Centro de Biologia Molecular e Ambiental (CBMA) e o Instituto para a Sustentabilidade e Inovação em Estruturas de Engenharia (ISISE), o IB-S incorpora cerca de 250 investigadores e vinte empresas parceiras em projetos na área do mar e da economia azul, da biodiversidade, do capital natural, da economia circular e da resiliência do ambiente natural e construído, que no global superam os 10 milhões de euros. ?O balanço é muito positivo, sempre com os olhos postos na sociedade, num caminho desafiante e de diálogo permanente entre investigadores e empresários, que queremos cada vez mais próximos como investidores em ciência e inovação?, refere Cláudia Pascoal.

A sessão solene inclui o painel ?IB-S holds talent?, com os investigadores Cláudia Carvalho-Santos, Pedro Martins (ambos do CBMA), Elisabete Teixeira e Hélder Sousa (ambos do ISISE). De seguida, a mesa redonda ?Desafios e oportunidades para uma sociedade (mais) sustentável? vai contar com as intervenções de Pedro Norton de Matos (Greenfest), Ricardo Machado (Município de Guimarães), Anabela Carvalho (Instituto de Ciências Sociais da UMinho) e Fernanda Cássio (CBMA/IB-S). O encerramento cabe ao presidente do conselho estratégico empresarial do IB-S e CEO do dstgroup, José Teixeira.

Planear o futuro

No evento vai também discutir-se os desafios, prioridades e oportunidades de financiamento ao nível da inovação e especialização inteligente no Norte de Portugal, por Rui Monteiro, coordenador do Órgão de Acompanhamento das Dinâmicas Regionais da CCDR-N. A Comissão Europeia tem lançado programas para enfrentar os desafios globais nas áreas do clima e ambiente, nomeadamente sobre alterações climáticas, solos, cidades inteligentes e oceanos, mares e águas costeiras e interiores. ?Cada programa procura soluções no contexto da Agenda 2030 da ONU e no IB-S queremos fazer parte desse ecossistema com atividades inovadoras?, enfatiza Cláudia Pascoal. ?Colocamos a ciência ao serviço de um modelo de vida sustentável, privilegiando a harmonia entre os ambientes construído e natural?, acrescenta.

Com edifícios em Braga e Guimarães, o IB-S pretende igualmente aumentar o financiamento através do modelo de cátedras (tem duas cátedras sobre construção sustentável e digitalização, financiadas nos últimos anos pelo dstgroup e pela Proef) e apostar na captação e retenção dos melhores investigadores. ?A questão do emprego científico é absolutamente crítica para um instituto de ciência e inovação, tal como o é a abertura de programas de reequipamento para mantermos a excelência da investigação?, assinala a coordenadora do IB-S.

Texto: GCI

Foto: Nuno Gonçalves

Posted on Leave a comment

Dezembro Solidário – Sessões gratuitas de Tai Chi Chuan

UMinho Sports | Dezembro Solidário - Sessões gratuitas de Tai Chi Chuan

O Departamento de Desporto e Cultura dos Serviços de Ação Social da Universidade do Minho (SASUM) vai disponibilizar, em dezembro, sessões gratuitas e abertas a todos de Tai Chi Chuan.

Numa lógica solidária, a iniciativa ?Dezembro Solidário? vai oferecer sessões de Tai Chi Chuan, condicionadas à entrega de um bem alimentar, que, posteriormente, serão entregues aos alunos da UMinho mais carenciados, em articulação com o Departamento Apoio Social.

As sessões acontecem:

– no Complexo Desportivo de Gualtar às 2ª feiras das 20.00h às 21.00h nos dias 4, 11 e 18 de dezembro;

– no Complexo Desportivo de Azurém às 4ª feiras das 20.00h às 21.00h nos dias 6, 13 e 20 de dezembro.

Apesar das sessões serem gratuitas, a inscrição é obrigatória nos balcões de atendimento dos Complexos Desportivos.

Mais informações: ddc@sas.uminho.pt

Texto: Redação

 

Posted on Leave a comment

Projeto de Voluntariado UMinho apresentado na próxima semana no campus de Gualtar

Projeto de Voluntariado UMinho apresentado na próxima semana no campus de Gualtar

A Universidade do Minho lança na próxima terça-feira, dia 5 de dezembro, o seu projeto de voluntariado, uma iniciativa que visa promover o bem-estar social e a solidariedade em toda a comunidade académica. Este projeto reconhece a importância de ligar a dimensão pedagógica a causas sociais e solidárias e será apresentado a partir das 9h30 no auditório B1 do CP II, no campus da Gualtar.

O projeto “Voluntariado na UMinho – UMinho em Campo: Juntos na Transformação” é uma iniciativa orientada pelo compromisso de unir estudantes, docentes e funcionários da Universidade em ações voluntárias significativas, ao mesmo tempo que procura fortalecer parcerias com empresas que partilham a visão de responsabilidade social e estão dispostas a apoiar a UMinho nas causas sociais e solidárias.

A Comissão de Implementação do Voluntariado na UMinho já assumiu três eixos de ação para o projeto. O primeiro, ?Educação para a solidariedade?, pretende promover a conexão entre a educação e as causas sociais e solidárias, incentivando os estudantes a aplicarem os seus conhecimentos e competências académicas para melhorar a sociedade. O segundo eixo irá procurar promover o ?Bem-estar social? e terá como ponto de partida a priorização do mesmo como um valor central, garantindo que as atividades de voluntariado tenham um impacto positivo nas vidas das pessoas e nas comunidades que a UMinho serve. Por último, o Voluntariado UMinho terá como missão promover a ?Solidariedade? como um princípio orientador, incentivando a empatia e o apoio mútuo entre os membros da comunidade académica.

A Comissão de Implementação do Voluntariado UMinho, designada pela Vice-Reitora para a Educação e Mobilidade Académica, Professora Filomena Soares, é coordenada por Sílvia Lima Gonçalves Araújo e tem como membros Anabela Alves, António Vicente, Celina Pinto Leão, Pedro Albuquerque e um representante da Associação Académica da UMinho.

Esta Comissão terá como primeiro desígnio organizar a primeira ação de formação de docentes em 2023, em Aprendizagem-Serviço, divulgar a atividade do Voluntariado, criar uma nova Unidade Curricular na Opção UMinho a ser implementada no ano letivo 2024/2025, angariar entidades parceiras através de ações de comunicação e promover as ações tidas como necessárias para a creditação das ações de voluntariado. É expectável que a ação deste projeto se consolide ao longo do atual ano letivo, sendo que durante este período a Comissão deverá elaborar e apresentar um plano de ação para ser aplicado a partir do próximo ano letivo.

Texto: GCI

Posted on Leave a comment

Global Mobility Forum partilha valor das experiências internacionais

Global Mobility Forum partilha valor das experiências internacionais

A Universidade do Minho organiza a 7 de dezembro a primeira edição do Global Mobility Forum, sob o tema ?International Experiences from the UMinho Community” e com participantes desta academia e de instituições de relevo na área.

A sessão de abertura é pelas 9h30, no auditório B1 do campus de Gualtar, em Braga, com a presença do Reitor, Rui Vieira de Castro, da Vice-reitora para a Educação e Mobilidade Académica, Filomena Soares, e da Pró-reitora para os Projetos Científicos e Gestão da Investigação, Sandra Paiva.

O programa prevê depois uma sessão de flash talks, com a partilha de experiências pessoais de mobilidade na América do Norte, na América Central e do Sul, em África, na Ásia e Oceânia e na Europa. Os oradores são docentes, investigadores, estudantes e trabalhadores técnicos e administrativos da UMinho, que vão abordar as suas vivências ao abrigo de programas de intercâmbio nas áreas da investigação, ensino ou gestão.

Após uma curta pausa, realiza-se às 11h30 uma mesa redonda sobre perspetivas de liderança na mobilidade global. O momento junta à conversa o Reitor, Rui Vieira de Castro, a coordenadora para o Ensino Superior da Agência Nacional Erasmus+, Carla Ruivo, o CEO do Grupo Casais, António Carlos Rodrigues, a diretora executiva da Comissão Fulbright, Otília Macedo Reis, e o gestor de Ciência e Inovação da Embaixada do Reino Unido em Portugal, Frederico Lyra. A moderação cabe à professora e eurodeputada Isabel Estrada Carvalhais.

A sessão de encerramento é pelas 12h30. A iniciativa tem o envolvimento da Associação Académica da UMinho e vai ilustrar a forte dinâmica de internacionalização desta Universidade ao nível das mobilidades.

Toda a comunidade académica está convidada a participar na sessão!

Texto: GCI

Foto: Nuno Gonçalves